zhang san feng

Quando procuramos as raízes to Tai Chi, como o conhecemos hoje, somos levados até á aldeia Chen, província de Henan, pois é aqui que existem registos escritos que provam que neste local nasceu a arte do Tai Chi. Até aos nossos dias, permanece a crença de que na origem do Tai Chi está Zhang San-Feng, um monge taoista que teria vivido na montanha de Wutang, durante a Dinastia Ming (1279-1644). Diz-se que da sua observação da luta entre a Cegonha e a Serpente, teria retirado alguns dos fundamentos do Tai Chi, ao verificar que os movimentos circulares, suaves e sinuosos da serpente impediam a ave de a apanhar e vencer. Chang enfatizou a harmonia do Yin/Yang como um meio de melhorar o desenvolvimento da mente e da habilidade física, a meditação natural, bem como, movimentos naturais do corpo propulsados por uma energia interna que deveria ser desenvolvida.  

Este sistema de práticas recebeu o nome de Tai Chi Chuan. Na época, o Tai Chi Chuan também foi criado com propósitos de combate, como uma arte marcial para o desenvolvimento externo e interno. Mas com o passar dos séculos esta função foi diminuindo, sendo colocada a ênfase nos propósitos relativos ao desenvolvimento da saúde. Tai Chi significa "o supremo". Isto significa melhorar e progredir em direcção ao ilimitado; significa a “existência imensa” e o “grande eterno”. Os mestres “verdadeiros” e dedicados permaneciam nas montanhas, e com os seus seguidores levavam uma vida monástica com o objectivo de manter a arte pura. Meditavam e praticavam diariamente para elevar o espírito, a condição da mente, disciplinar o corpo e elevar a essência. O sistema original foi preservado mais ou menos intacto, com as disciplinas da mente e do corpo sendo incluídas no treino. O esforço e a concentração, como firme propósito, eram requeridas para se atingir qualquer nível de evolução no Tai Chi. Os que atingiram os niveis mais elevados, tornaram-se líderes, formando com os seus seguidores um relacionamento de treino único entre mestre e discípulo. Esta tradição teve um importante papel na passagem do conhecimento e da sabedoria do Tai Chi para a sociedade, as suas características únicas permitiram uma divulgação que foi capaz de agradar a todas as classes sociais. Suportado pelas pessoas comuns e às vezes até pelos imperadores o “Templo” do estilo Tai Chi, adquiriu uma imagem forte e digna, traçando o caminho para que o Tai Chi se transformasse na Suprema Arte da Vida. Os Mestres de Tai Chi eram observados como símbolo da sabedoria. Os conhecimentos dos mestres na Arte da Vida e na Arte da Guerra, criaram figuras de respeito, eram vistos como pessoas que praticavam a justiça, a caridade e dedicavam-se à educação e às artes da medicina. Os seguidores do Tai Chi eram também conhecidos pela exigência moral a que pautava a sua prática e filosofia. Acreditavam que o povo deveria disciplinar-se para ser espiritual, saudável, bom e inteligente; ser responsável e auxiliar os outros para atingir graus maiores de desenvolvimento; amar a verdade; lutar ferozmente contra a imoralidade e a injustiça e proteger os necessitados e os fracos. Foi com estes objectivos em mente que o aspecto da arte marcial do Tai Chi se desenvolveu e foi enfatizado durante 800 anos.


woo tang mountains

Quando procuramos as raízes to Tai Chi, como o conhecemos hoje, somos levados até á aldeia Chen, província de Henan, pois é aqui que existem registos escritos que provam que neste local nasceu a arte do Tai Chi. Até aos nossos dias, permanece a crença de que na origem do Tai Chi está Zhang San-Feng, um monge taoista que teria vivido na montanha de Wutang, durante a Dinastia Ming (1279-1644).

Diz-se que da sua observação da luta entre a Cegonha e a Serpente, teria retirado alguns dos fundamentos do Tai Chi, ao verificar que os movimentos circulares, suaves e sinuosos da serpente impediam a ave de a apanhar e vencer. Se Zhang San-Feng, para uns está na origem do Tai Chi, para outros o monge taoista faz parte da mitologia através da qual também se escreve a história do Tai Chi. Um tratado sobre Tai Chi Chuan, escrito por Li I-Yu (1832-1892), é composto por três manuais, conhecidos como “ Os Três Velhos Manuais”. Nestes escritos há referencias ao criador do Tai Chi, sendo este Chang San Feng, assim como às habilidades artísticas de Wang Tsung Yueh, declarando, em escritos posteriores que as verdadeiras origens do Tai Chi eram desconhecidas. No entanto a mais fiável teoria sobre a origem do Tai Chi, é suportada por evidencias escritas, que mostram que o General Chen Wanting, que terá vivido na aldeia Chen (Chenjiagou), teria sido o criador do que hoje conhecemos como Tai Chi, estilo Chen, nos finais de 1600. A forma criada por ele “ A Velha Forma do Estilo Chen”, ainda hoje é praticada, embora tenha sofrido modificações, introduzidas com o tempo por outros elementos da família Chen (Chen Fake, Chen Zhaopi ou mesmo Chen Zhaouki), que acabaram por gerar alterações nas formas mais antigas, originando o que hoje é conhecido como “ Nova Forma Estilo Chen”. Enquanto arte marcial o estilo Chen marcava uma diferença substancial relativamente a outras formas, mais suaves, como aconteceria com os estilos que acabariam por se basear no estilo Chen, sendo os mais conhecidos os estilos Yang, Wu e Sun.

Para se compreender a história do Tai Chi, não podemos esquecer-nos do seu berço, Chenjiagou, a aldeia Chen. No final do período da Dinastia Yuan, o governo da época tornou-se demasiado corrupto, o que levou o povo a revoltar-se contra a exploração dos senhores daquele tempo. Um exército de lavradores destemidos, da Província de Anhui, atravessa o Rio Amarelo e conseguiu destronar os poderosos da Dinastia Yuan, tendo fundado a Dinastia Ming (1367). Uma famosa batalha teve lugar na cidade de Huai Qing, próximo da hoje conhecida vila de Chenjiagou. A maioria das pessoas desta aldeia, foi morta, pois o novo imperador Ming, receou que o povo desta aldeia pudesse sair em defesa do velho imperador. Depois do massacre desta aldeia, com quase toda a população morta, a aldeia praticamente ficou vazia. Em 1372, o Imperador publicou uma ordem, que obrigava o povo de Hong Dong (Província de Shan Xi) a imigrar para a deserta cidade de Huai Qing City. Um jovem de nome Chen Bu, que se havia mudado para a cidade de Wen, parte da cidade de Huang Qing, radicou-se naquela cidade com a mulher e os filhos, acabando por dar o seu nome à aldeia, que hoje conhecemos como aldeia Chen. Por aquela altura Chen Bu, começa a ensinar os seus filhos as artes marciais que ele mesmo havia aprendido, para que estes se pudessem proteger a si e às suas famílias. Nos finais do século XIV, a aldeia que conhecemos hoje, como ChenJiagou, conhece os primeiros sinais do ensino das artes marciais, com a chegada da família de Chen Bu. Por volta de 1509, Chen Wanting, da 9ª geração da família Chen, tornou-se candidato a um lugar do governo local. Enquanto um extraordinário artista marcial, ele teve um papel importante no combate aos bandidos que assolavam a região, tornando-se uma figura conhecida pelas suas proezas. Os governantes da Dinastia Qing, passaram a contar com a ajuda de Chenwanting, reconhecendo as suas capacidades. Porém esta relação foi pouco duradoura. Desapontado com os governantes Chenwanting deixa as suas funções junto do governo e passa a dedicar-se ao desenvolvimento das suas habilidades marciais, sendo-lhe atribuída a génese do que hoje conhecemos como Tai Chi. Chenwanting, estuda o Yi Jing (O Livro das Mutações), o Nei Jing (O Livro do Imperador Amarelo) e as técnicas militares. Desenvolve uma técnica própria em que combina aspectos suaves e duros, lentos e rápidos, formando um sistema de combate. Desenvolveu cinco rotinas de Tai Chi, uma rotina de Pao Chui (Canon Fist), o Tuishou( Empurrar de mãos), e algumas formas de armas. 


Apesar de ser o criador das formas referidas, Chenwanting, contou com a ajuda de parceiros de luta, como foi o caso de Jiang Fa, com o qual pode constatar a eficácia das suas rotinas. Após a introdução do Tai Chi na aldeia Chen, a população dedicou-se à aprendizagem destas técnicas, de uma forma persistente, tendo a aldeia ficado famosa como centro desta arte de combate, de tal modo que passou a ser obrigatória a passagem por esta aldeia, por parte daqueles que realmente desejasse treinar-se nas habilidades das técnicas do Tai Chi Chen. Chen Changxing (1771-1853), da 14ª geração da Família Chen, escreveu vários livros, como “Os Dez Princípios do Tai Chi”, “Conceitos Essenciais do Tai Chi” e “Aplicações de Tai Chi”. Como existiam muitas repetições nas rotinas praticadas, ele adaptou as cinco rotinas iniciais, tendo criado uma única rotina, com base nas cinco. Esta rotina, ficou conhecida como Lao Jia, “ A Forma Antiga” , ou “A Forma Longa”. Alguns do seus estudantes revelaram-se grandes artistas marciais, como é o caso de Chen Gengyun( seu familiar) e Yang Luchan, o criador da forma Yang de Tai Chi. Um dos mestres da 14ª geração, Chen Youben, simplificou as rotinas de Chen Changxing (a Primeira e a Segunda rotina) e a sua forma ficou conhecida como Xin Jia (Forma Nova). Chen Qingping ( da 15ª geração), casou com uma habitante de uma pequena aldeia, próximo da aldeia Chen, de nome Zhao Bao e desenvolveu um estilo próprio, com base nas formas de Chen Changxing e Chen Youben. O seu estilo revelou-se mais complexo e mais circular, tendo a sua forma ficado conhecida como Zhao Bao. Chen Qingping foi o mestre que ensinou o criador do estilo Wu (Hao).

ChenFaKe2

Chen Fake, da 17ª geração e bisneto de Chen Chanxin foi um dos maiores mestres de Tai Chi Chen da China. Chen Fake saiu da aldeia Chen e foi para Beijing, por volta de 1928, a convite do seu sobrinho Chen Zhaopi (1893-1972) da 18ª geração da família Chen e o primeiro mestre de Tai Chi em Beijing. Zhaopi acabaria por se mudar para o sul da China, mais tarde de onde regressaria após 30 anos de permanência nesta região. Com a sua chegada e permanência de Chen Fake em Beijing, (1929 a 1957) o ensino e o desenvolvimento do Tai Chi haveriam de sentir um forte incremento.Chen Zhaokui, filho de Chen Fake, que estudou Tai Chi com o seu pai, desde muito jovem, aperfeiçou os seus ensinamentos, tornando-se ele próprio um grande mestre deste sistema. Ao seu pai ficou ligada a forma conhecida como “Forma Velha”, de tal modo que muitos praticantes na China a designam ainda como Forma de Chen Fake, ou Forma Chen Zhaokui. Chen Zhaopi, regressou a aldeia Chen, apo´s 30 anos de ausência e aqui retoma o ensino do Tai Chi, tendo como alunos Chen Xiaowang, Chen Zhenglei, Wang Xian e Zhu Tiancai. A forma ensinada por Chen Fake tinha então sofrido alterações, pelo que a forma de Chen Zhaopi passou a ser a mais divulgada, continuando, ainda hoje a ser praticada na aldeia Chen. Chen Xiaowang, Grande Mestre do estilo Chen, nasceu e cresceu na aldeia Chen, não tendo estudado Tai Chi com o seu avô Chen Fake, mas sim com o seu tio Chen Zhaopi (a forma 75 movimentos). Com o regresso em 1973, de Chen Zhaokui (filho de Chen Fake), A Chenjiagou e após a morte de Zhaopi, aquele passou a dedicar-se ao ensino do Tai Chi na aldeia Chen. Para Chen Xiaowang e outros mestres de Tai Chi, a forma de Chen Zhaouki era Xin Jia, a Nova Forma (83 movimentos) e não a LaoJia (75 movimentos) que era a forma mais praticada na aldeia, nessa altura.

Antes da publicação do livro “Chen Tai Chi” escrito por Chen Xiao Wang em 1985, quando as pessoas falavam sobre a velha forma, reportavam-se á Forma de Chen Fake (retirada da velha forma de Chen Changxing). A nova forma, ou Xin Jia, referia-se à forma de Chen Youben. O livro de Chen Xiaowang, não esclareceu estas questões que ainda hoje são fonte de debate, na China, quando se pretende estabelecer a origem das formas. Aquilo que realmente se sabe é que quando Grande Mestre Chen Fake parte para Beijing, em 1928, ele ensinava aquela que era conhecida como a “Velha Forma”.Nos dias de hoje as pessoas da aldeia Chen dizem que “a Forma Velha é Nova e que a Forma Nova é a Velha”. Durante o seu tempo de permanência em Beijing, Chen Fake teve vários estudantes consigo, que acabariam por ser reconhecidos como mestres desta arte: reconhecidos, tais como Gu Luixin, o autor do livro “Tai Chi Quan”, Hong Junsheng (fundador do Tai Chi Estilo Chen Hong), Tian Xiuchen (cuja forma se tornou muito popular em Beijing), Lei Muni, Feng Zhiqiang (fundador do Estilo Chen Hunyuan), Li Jingwu (famoso Grão mestre de Tai Chi) e Xiao Qinglin (também ele um famoso Grão Mestre de Tai Chi) Em conclusão, podemos dizer que todas as formas são excelentes e são fruto da cultura Chinesa. Portanto as discussões em torno desta questão, são de pouca valia e desenvolvem-se mais por razões comerciais ou de vaidade pessoal. Aquilo que é mais importante é o estudo das vantagens de cada diferente forma. No final o Tesouro do Tai Chi será exibido, efectivamente, através do Tai Chi que se pratica e aí as pessoas poderão perceber que todo o Tai Chi praticado no mundo é uma só família, porque todas as formas radicam nos mesmos princípios fundamentais e têm por base o conceito matriz do TAO.

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar

Guardar